7 de janeiro de 2013

Quebrada a barreira do zero absoluto



Graças a um capricho da física quântica, físicos da Universidade Ludwig Maximilian, em Munique, puderam alcançar pela primeira vez uma temperatura abaixo do zero absoluto, ao criar um gás quântico ultrafrio feito de átomos de potássio, usando lasers e magnetismo.

Por convenção, o zero absoluto é definido como 0 K na escala Kelvin, -273,15°C na escala Celsius, ou -459,67°F na escala Fahrenheit. Quando um sistema é resfriado até o zero absoluto, então aquele sistema está perfeitamente ordenado e todos os seus constituintes - átomos e moléculas - estão no seu devido lugar. Esta seria a temperatura mais baixa possível.

Os pesquisadores conseguiram chegar apenas alguns bilionésimos abaixo de zero Kelvin. A nova técnica criada pelos alemães abre portas para o desenvolvimento de dispositivos quânticos e materiais com temperatura abaixo de 0 Kelvin.

Mais intrigante do que a temperatura alcançada, é o fato do gás imitar o comportamento da “energia escura”,  força misteriosa que leva o Universo a se expandir a uma taxa cada vez mais rápida contra a força da gravidade. Além disso, o físico teórico Achim Rosch, da Universidade de Cologne, na Alemanha, calcula que, em um sistema como esse, os átomos abaixo do zero absoluto passam a flutuar em vez de serem puxados pela gravidade.

Fonte: nature

LeiaTambém: