14 de dezembro de 2017

Estrelas de nêutron e Joy Division





Em 1979 a banda inglesa de pós-punk, Joy Division, lança seu álbum de estreia, o Unknown Pleasures. O álbum foi gravado em abril de 1979 no Strawberry Studios, em Stockport. O LP não tem indicação dos lados, e os nomes das músicas estão escritos no encarte, não no selo. Na reedição em CD, é considerado como lado A o que começa com a música Disorder. E para deixar mais misterioso ainda, na contra-capa do LP tem a frase: “Isto não é um conceito, é um enigma”.



A ilustração dos pulsos que estampam a capa do álbum partiu do guitarrista Bernard Sumner, segundo ele, a ideia teve origem em um livro de astronomia visto por ele na época. Bernard então indica os caminhos para os designers Peter Saville e Chris Mathan criarem a capa. A arte do álbum representa visualmente um gráfico gerado por um medidor de pulsos, no qual mostra o registro de radiações eletromagnéticas geradas por um Pulsar. A ilustração foi gerada por um computador produzido no Arecibo Radio Observatory de Porto Rico, e publicada pela primeira vez nos Estados Unidos, sem copyright no ano de 1971, o que a torna de domínio público por não cumprir com as formalidades da época.



Os pulsares são estrelas pequenas e densas, possuem massa de cerca de 1,4 Msol, e raio de cerca de 20 km. Essas estrelas são conhecidas como estrelas de nêutrons e, apesar de terem uma pequena fração do tamanho da Terra, os pulsares podem apresentar um campo gravitacional até 1 bilhão de vezes mais forte que o da Terra. Podemos detectar explosões periódicas regulares de radiação eletromagnética emitida por essas estrelas durante sua rotação. Algumas delas giram muito rápido, até 1.000 revoluções por segundo. O primeiro pulsar foi descoberto acidentalmente em 1967 por Jocelyn Bell e Antony Hewish.


Abaixo temos uma foto tirada em raios-X de baixa energia pelo Observatório Espacial Chandra, da NASA. A parte vermelha acima é de uma nuvem de gás chamada RCW 89, enquanto a parte em amarelo, que lembra uma mão, é uma nebulosa iluminada pelo Pulsar PSR B1509-58, em azul, que se localiza a cerca de 17.000 anos-luz de distância da Terra.

Pulsar PSR B1509 -58. - Créditos: NASA

Eu descobri o som da banda Joy Division através de outra banda, a Legião Urbana. O Renato Russo, vocalista da Legião, se inspirava nas melodias e até mesmo na dança do vocalista Ian Curtis, do Joy Division. O som pós-punk é meu gosto musical, e como a astronomia também faz parte da minha vida, não pensei duas vezes em rabiscar o corpo com os pulsos das estrelas de nêutron. 


Créditos: André Portugal


28 de novembro de 2017

Meteoro em Santa Catarina/RS


Um meteoro muito luminoso cruzou o céu da cidade gaúcha de Taquara, produzindo um forte clarão. O registro da entrada na atmosfera foi feito através de uma das câmeras da BRAMON, Rede Brasileira de Observação de Meteoros. O evento ocorreu por volta das 22 horas do domingo, 19 de novembro 2017. 
"O fenômeno provavelmente deve ter ocorrido no centro de Santa Catarina, mas como apenas a câmera de Taquara registrou a passagem, não é possível determinar a trajetória exata." - diz Carlos Fernando Jung, diretor científico da BRAMON.

Crédito: Carlos Fernando Jung/Bramon.

26 de março de 2014

Descoberto novo planeta anão no Sistema Solar

Astrônomos descobriram um novo planeta anão muito além da órbita de Plutão, sugerindo que este reino distante contém milhões de objetos desconhecidos – incluindo, talvez, um mundo maior do que a Terra.
 
O corpo celeste recém-descoberto, chamado 2012 VP113, junta-se ao planeta anão Sedna como um residente confirmado de uma região longínqua e inexplorada que os cientistas chamam de “Nuvem de Oort interior”. Além disso, 2012 VP113 e Sedna podem ter tido suas órbitas alteradas por um grande planeta invisível espreitando nessas profundezas geladas.

“Estes dois objetos são apenas a ponta do iceberg”, disse o co-autor Chadwick Trujillo, do Observatório Gemini, no Havaí. “Eles existem em uma parte do sistema solar que estamos acostumados a pensar é muito desprovida de matéria. Isso só nos mostra o quão pouco realmente sabemos sobre o sistema solar.”
O corpo é tão distante que quando Sheppard viu pela primeira vez, era o objeto astronómico mais lento em movimento que já tinha visto.

Este diagrama mostra a órbita dos caminhos da nuvem de Oort objetos 2012 VP (vermelho) e Sedna (laranja), que circulam o Cinturão de Kuiper (azul) na borda do Sistema Solar.
 
O estudo foi publicado on-line hoje (26 de Março) na revista Nature.

Fonte: Nature

25 de março de 2014

Cientistas brasileiros anunciarão descoberta no Sistema Solar Exterior

astronomia

Uma equipe internacional de astrônomos, liderada por Felipe Braga-Ribas (Observatório Nacional/MCTI, Rio de Janeiro, Brasil), utilizou telescópios em sete locais da América do Sul, incluindo o telescópio Dinarmaquês de 1,54 metros e o TRAPPIST, ambos situados no observatório de La Silla do ESO, para fazer uma surpreendente descoberta no Sistema Solar Exterior.
Este resultado inesperado levanta várias questões ainda não respondidas e deve provocar muitos debates. Uma conferência de imprensa será realizada no Brasil para apresentar estes novos resultados, com oportunidade para perguntas dos jornalistas.
Note que todas as informações acerca destas descobertas estão sobre um embargo rígido até às 18:00 (hora de Portugal Continental) de quarta-feira, 26 de março de 2014.
Quando: A conferência de imprensa terá lugar no dia 26 de março de 2014 às 14:30, horário local (BRT), e será em português com uma breve apresentação em inglês.
Quem: Os apresentadores são:
  • Felipe Braga-Ribas, Observatório Nacional/MCTI, Rio de Janeiro, Brasil
  • Bruno Sicardy, LESIA, Observatoire de Paris, CNRS, Paris, França
  • Prof. Roberto Martins, Observatório Nacional/MCTI, Rio de Janeiro, Brasil
  • Prof. Julio Camargo, Observatório Nacional/MCTI, Rio de Janeiro, Brasil
Onde: O evento acontece no Observatório Nacional, Auditório do Grupo de Pesquisas em Astronomia (GPA),no edifício GPA/LINEA, Rua General José Cristino, 77, Bairro de São Cristovão, Rio de Janeiro - RJ, 20921-400, Brasil.
Como: Para participar na conferência e receber material adicional, os jornalistas devem credenciar-se enviando um email para o Dr. Gustavo Rojas (ESON Brasil) em eson-brazil@eso.org. Os membros dos meios de comunicação sociais podem também requisitar a nota de imprensa embargada para os contactos abaixo. Podem ser enviadas perguntas por email para eson-brazil@eso.org em português ou inglês. Um número limitado de jornalistas poderá também participar remotamente na conferência via GoToMeeting (por favor solicite o acesso para eson-brazil@eso.org).

Contactos

Gustavo Rojas
Universidade Federal de São Carlos
São Carlos, Brazil
Tel.: 551633519795
Telm.: 551633519797
e-mail: gurojas@gmail.com
Richard Hook
ESO, Public Information Officer
Garching bei München, Alemanha
Tel: +49 89 3200 6655
Telm: +49 151 1537 3591
Email: rhook@eso.org

Fonte: European Southern Observatory

17 de março de 2014

Finalmente detectadas as primeiras ondas gravitacionais.





Cientistas americanos anunciaram nesta segunda-feira (17), ter finalmente conseguido detectar diretamente, ondas gravitacionais, que seriam “ecos” da inflação inicial do Universo. Essa descoberta constitui a primeira prova observacional da existência do Big Bang, o evento que deu origem ao Universo há 13,7 bilhões de anos. O resultado também confirma a última previsão da Teoria da Relatividade Geral de Einstein, na qual já levava em consideração esse fenômeno, porém o mesmo nunca havia sido observado antes.

Telescópio BICEP

Quando tinha apenas uma fração de segundo de vida, o Universo inchou-se exponencialmente, formando assim as ondas gravitacionais. Para detectar as ondas gravitacionais primordiais, John Kovac, do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian (CfA), e colegas utilizaram um telescópio chamado BICEP e instalado no Pólo Sul. O BICEP foi construído para observar os vestígios da luz emitida pelo Big Bang, que hoje está presente sob forma de microondas em todo o cosmos – a chamada radiação cósmica de fundo (RCF). 

A radiação do Universo 380 mil anos após o Big Bang - NASA/WMAP

"Detetar este sinal é hoje um dos mais importantes objetivos da cosmologia e há muita gente a trabalhar nesta área", afirma à BBC o investigador John Kovac, do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics, que lidera a equipe que fez a descoberta.

Na opinião do físico teórico Avi Loeb, também de Harvard, a descoberta “traz uma nova luz sobre algumas das questões mais fundamentais, como por que nós existimos e como o universo começou”. “Não somente esses resultados são a prova irrefutável da inflação cósmica como nos informam sobre o momento dessa expansão rápida do universo, e do poder desse fenômeno”, explicou.

23 de novembro de 2013

Registro dos cometas ISON e Encke


O cometa ISON já está sendo registrado pelas câmeras das sondas NASA STEREO. Ontem, os astrônomos amadores on-line foram muito rápidos em apontar que cometa ISON tinha entrado no campo de visão da NASA STEREO. O interessante é que, no início do filme, aparece também o cometa Encke com sua cauda tremulando por conta das variações do vento solar, logo em seguida aparece o cometa ISON, muito mais luminoso. As sondas Stereo irão acompanhar o cometa ISON em seu periélio, momento em que estará escondido por detrás do Sol para um observador na Terra.


23 de agosto de 2013

Nova Delphinus 2013 e objeto não identificado


Imagens: Jr Martini

O físico e astrônomo amador Jr Martini, registrou a passagem de um objeto não identificado, o registro aconteceu exatamente quando ele fazia um vídeo da Nova Delphinus 2013, na noite do dia 21 no observatório Sagitário em Botucatu–SP. Pelas coordenadas e horário, o objeto que cruzou o campo de visão da câmera, provavelmente pode ter sito um satélite. Martini tentou acompanhar o objeto com o telescópio, mas não obteve sucesso, pois o equipamento estava no modo lento.

 
Telescópio Meade SCT 254 mm - F = 2500 mm - câmera planetária ASI 120 MC + redutor focal 0.63 (F/6.3) - frames com exposição de 0.365 s cada.

Créditos: Jr Martini

21 de agosto de 2013

Maior observatório astronômico do Brasil será construído em Amparo-SP


Uma parceria firmada entre a Prefeitura Municipal de Amparo e iniciativa privada vai trazer para a cidade o maior observatório astronômico aberto à visitação pública do Brasil. O complexo a ser instalado no município terá ainda um moderno planetário, uma estação meteorológica e espaço para realização de eventos.
O Polo Astronômico de Amparo tem investimento previsto de aproximadamente R$ 2,3 milhões e será construído em uma área que fica distante cerca de 15 quilômetros do centro da cidade. Seu principal objetivo é programar atividades de ensino e difusão da astronomia e ciências afins para estudantes, professores e interessados; também vai realizar atividades culturais e de difusão científica para turistas e promoverá programas de pesquisas científicas.
A estrutura do Polo Astronômico de Amparo será construída em uma área de 54 mil metros quadrados, a 995 metros de altura em relação ao nível do mar. As construções dos prédios do complexo estão orçadas em R$ 900 mil e R$ 1,3 milhão é o custo estimado dos equipamentos a serem instalados.
O maior observatório astronômico do Brasil aberto ao público será equipado com quatro modernos telescópios refletores computadorizados e com acesso remoto, com aberturas que variam de 350 a 700 milímetros, além de outros dois, sendo um exclusivamente dedicado para observação solar em H-alfa e luz visível.
Planetário - Quando for inaugurado, possivelmente no final do próximo ano, o mais moderno planetário brasileiro vai proporcionar aos visitantes projeções (em uma cúpula semiesférica) do céu estrelado em qualquer época do ano de qualquer lugar da terra simulações de viagens espaciais e projeção digital hemisférica de qualquer tipo de vídeos e animações sobre qualquer área do conhecimento.
No complexo também haverá espaço dedicado para a observação do céu a olho nu, com binóculos e pequenos telescópios. O mesmo espaço também poderá ser utilizado para capacitação de professores, cursos de treinamento técnico, convenções e apresentações musicais.
Na parceria firmada entre a Prefeitura Sphaera Planetária, caberá a empresa arcar com todos os investimentos e à prefeitura aprovar na Câmara uma lei que cria um sítio astronômico (controle da poluição luminosa) no entorno do complexo, além de manter a estrada rural de acesso e instalar placas indicativas para facilitar o acesso dos visitantes.

Fonte:Prefeitura Municipal de Amparo

22 de abril de 2013

Meteoro ilumina céu da Argentina em 21/04/2013




Um meteoro iluminou o céu na madrugada deste domingo (21), em províncias do norte e do centro da Argentina, O fenômeno também foi observado em outras províncias como o Chaco, Corrientes, Formosa, Catamarca e no Paraguai. Testemunhas disseram que depois que a noite ficou completamente iluminada, eles ouviram uma forte explosão e sentiram um tremor, apesar do Instituto Nacional de terremotos da Argentina não ter registrado nenhum terremoto na região.

24 de fevereiro de 2013

Cometa Pan-STARRS visível em Março/2013


Clique para ver o vídeo
Muito além das órbitas de Netuno e Plutão, onde o Sol é um pontinho de luz não muito mais brilhante que as outras estrelas, um enxame enorme de corpos gelados circunda o sistema solar. Os astrônomos chamam de "Nuvem de Oort", e é a fonte de alguns dos melhores cometas da história.
Em 06 junho de 2011 um novo cometa foi descoberto, e foi chamado de “Pan-STARRS” que é o acrônimo do telescópio que o encontrou.

No início de março, o cometa irá passar cerca de 100 milhões de quilômetros da Terra, em um breve mergulho dentro da órbita de Mercúrio. A maioria dos especialistas espera que ele se torne um objeto visível a olho nu tão brilhante quanto as estrelas da Ursa Maior.

Mas, diz Karl Battams do Laboratório de Pesquisa Naval, "prepare-se para ser surpreendido. Um novo cometa a partir da Nuvem de Oort é sempre uma incógnita, a passagem dele tanto pode ser um espetáculo, como também pode ser uma frustação". O cometa Pan-STARRS nunca foi testado pelo calor feroz e força gravitacional do Sol. Tudo depende do que vai acontecer com o material congelado existente no cometa, se as veias congeladas do cometa se abrirem, isso poderá lançar jatos berrantes de gás e poeira no céu noturno.

"Devido à sua pequena distância do sol, Pan-STARRS deve ser muito ativo, produzindo uma grande quantidade de poeira", prevê Matthew Knight do Observatório Lowell.
No entanto, ele adverte: "Ainda será difícil de ver. Do nosso ponto de vista sobre a Terra, o cometa estará muito perto do sol. Isso significa que ele só será observável no crepúsculo, quando o céu não é totalmente escuro".

As melhores datas para observá-lo serão nos dias 12 e 13 de março, é quando Pan-STARRS surge no céu do por do Sol ocidental não muito longe da lua crescente. "Meu palpite é que a principal característica visível a olho nu será o coma gasoso em torno da cabeça do cometa", diz Knight. "A cauda do cometa provavelmente exigirá binóculos ou um pequeno telescópio".

Duas outras datas importantes são 5 de março, quando o cometa se aproxima da Terra (cerca de 100 milhões de quilômetros) e 10 de março, quando o cometa se aproxima mais do sol. A dose de aquecimento solar que recebe apenas dentro da órbita de Mercúrio poderia ser apenas o que o cometa precisa para se tornar visível a olho nu.

Fonte: Science.Nasa

Atualização 02/03/2013

O cometa C/2011 L4 foi visto na noite desta sexta no Vale do Sinos no Rio Grande do Sul - Brasil. O fotógrafo do Jornal NH Inézio Machado e o pesquisador de Astronomia Leonardo Severi fotografaram o astro por volta das 19h30 desta sexta-feira com suas câmeras instaladas no bairro Cidade Nova, em Ivoti. 
Foto: Inézio Machado/GES

Atualização 11/03/2013

Foto do Cometa PanSTARRS capturada por Bruno Lemos em Aquidauana-MS - Brasil

Foto tirada por Douglas Bortolanza Lara no céu de Dourado-MS - Brasil
O cometa C/2011 L4, conhecido também como Panstarrs, foi visto na noite desta sexta no Vale do Sinos. O fotógrafo do Jornal NH Inézio Machado e o pesquisador de Astronomia Leonardo Severi fotografaram o astro por volta das 19h30 desta sexta-feira com suas câmeras instaladas no bairro Cidade Nova, em Ivoti.  - See more at: http://www.diariodecanoas.com.br/regiao/441876/cometa-panstarrs-e-visto-na-noite-desta-sexta-feira-no-vale-do-sinos.html#sthash.0bBry0LL.dpuf

Estrelas de nêutron e Joy Division

Em 1979 a banda inglesa de pós-punk, Joy Division, lança seu álbum de estreia, o Unknown Pleasures. O álbum foi gravado em abril de 1...