28 de maio de 2011

Você sabia que o Brasil produz luz síncrotron?


Anel Acelerador
O Brasil é um dos 26 países no mundo que têm laboratórios síncrotron. No Hemisfério Sul só o Brasil tem uma fonte de luz síncrotron. Isto mostra a importância deste laboratório para o nosso país e explica, também, porque o LNLS (Laboratório Nacional Luz Sincrotron) também recebe pesquisadores não brasileiros.

O Laboratório fica na cidade de Campinas, no estado de São Paulo, e seu equipamento  está em uso desde 2 de julho de 1997. Foram necessários nove anos de trabalho para desenhar e construir a fonte de luz sincrotron. O mais interessante, é que o laboratório foi construído por uma equipe de cientistas brasileiros, e a equipe tem total domínio sobre a fonte de luz síncrotron. Hoje, graças a esta competência, o LNLS fabrica componentes para outros laboratórios síncrotron, por exemplo. A equipe brasileira não depende de ninguém para fazer funcionar a fonte de luz síncrotron e mantê-la sempre atualizada tecnologicamente.

No LNLS, cientistas fazem pesquisas para ampliar o conhecimento sobre os átomos e as moléculas. Todos os materiais são feitos de átomos e moléculas. Logo, os cientistas querem entender cada vez mais os materiais, em especial as propriedades microscópicas destes. Ao recorrer ao LNLS, os pesquisadores encontram aqui um potente instrumento - uma fonte de luz síncrotron. No LNLS há também microscópios muito potentes, também utilizados por cientistas com o objetivo de investigar propriedades e características de átomos.

Para que servem as pesquisas feitas no LNLS?
O equipamento gera uma potente energia, que abrange quatro faixas do espectro eletromagnético: a parte do visível (que o olho humano é capaz de ver) e três outras faixas que a visão humana não percebe: o raio-X, o raio ultravioleta e o raio infravermelho.

Com raios-X, por exemplo, cientistas conseguem "ver" muitas características de materiais. Assim como é possível, com determinado tipo de raios-X  verificar uma fratura no osso, com raios-X mais potente é possível descobrir características de átomos ou moléculas, que são os ingredientes existentes em todos os materiais. O raio infravermelho e o raio ultravioleta também se prestam para estudar inúmeros materiais. O objetivo é gerar conhecimentos que poderão servir para construir novos materiais ou novos medicamentos, por exemplos. Cada vez mais, no século XXI, o homem irá manipular os átomos, fazendo um tipo de engenharia muito avançada. Com o LNLS, o Brasil está nesta corrida.

O futuro
Ano passado, a direção do LNLS anunciou a construção de uma nova fonte que se chamará Sirius. Considerada de 3ª Geração, essa fonte será  maior e mais potente do que a atual, contará com 3 GeV de capacidade energética, e será equivalente às fontes ALBA (Espanha) e Diamond (Reino Unido), e superior à fonte Soleil (França), que conta com 2,75 GeV.
Essa é uma porta aberta para colocar o país no páreo de uma tendência mundial, que é utilizar esse tipo de luz para auxiliar diversas pesquisas científicas e industriais, estimulando assim o desenvolvimento de novas tecnologias. Com esse tipo de luz, o Brasil poderá ser um importante colaborador e até mesmo galgar o protagonismo nos mais variados tipos de investigações no mundo, como o desenvolvimento de fármacos inteligentes, que ajudariam com mais eficiência no tratamento de diversas enfermidades. Para ajudar nesse tipo de pesquisa o LNLS mantém centros de pesquisas associados, como o Centro de Biologia Molecular e Estrutural (CEBIME) que em conjunto com o Instituto Butantan desenvolve um estudo que investiga a estrutura de uma proteína que é sintetizada pelo parasita Schistosoma mansoni, responsável pela esquistossomose. Elucidar a estrutura desta proteína vai abrir perspectiva para o desenvolvimento de uma vacina contra a doença.

 Animação gráfica da nova fonte sincrotron "Sirius"

18 de maio de 2011

Possível existência de vida no planeta Gliese 581d


Astrônomos franceses anunciaram esta semana, que o planeta chamado Gliese 581d, apresenta condições favoráveis para a existência de formas de vida. Ele é um dos quatro planetas que ficam fora do sistema solar e orbitam uma estrela chamada Gliese 581.  

Com o dobro do planeta Terra, Gliese 581d  possui um solo aparentemente rochoso, e poderia ser o primeiro planeta potencialmente habitável descoberto até hoje, diz o artigo publicado pela revista científica The Astrophysical Journal Letters.

Os cientistas fizeram diversas simulações tridimensionais do clima, e três delas demonstraram que Gliese 581 terá um ambiente estável, e de superfície de água líquida para uma ampla gama de casos plausíveis. Gliese 581d poderia se beneficiar de um efeito estufa, que lhe dá um clima quente a ponto de permitir a formação de nuvens, chuva e oceanos.
Apesar da possível existência de água em estado líquido no planeta, a concentração de dióxido de carbono e o ar denso são tóxicos para seres humanos. A hipótese da existência de vida de outras espécies terá que ser analisada por telescópios.

8 de maio de 2011

Asteroide passará muito próximo da Terra em 2011



O asteroide 2005 YU55, Identificado em 2005 pelo astrônomo Robert McMilan, do Spacewatch Program, em Tucson, no Estado do Arizona (EUA), irá passar a uma distância de 323 mil km da Terra.
Os dados obtidos mostram que o asteroide tem cerca de 400 metros de diâmetro. Segundo descrições, trata-se de um objeto muito escuro, de forma esférica.
A aproximação com a Terra do asteroide 2005 YU55 é incomum pela curta distância e pelo seu tamanho. Em média, ninguém esperaria que um objeto deste porte passasse tão perto em 30 anos", comenta Don Yeomans, da NASA.
A NASA informou que um evento como esse não deve se repetir até 2028, quando o asteroide deve passar a uma distância ainda menor do nosso planeta.
Depois de completar uma volta ao redor do Sol, o asteroide passará entre a Terra e a Lua, sem oferecer risco de impacto.

Asteroide 2005 YU55, imagem do dia 07/11/2011 (Foto: Nasa/JPL-Caltech)
O asteroide poderá ser observado no dia 8 de novembro de 2011, por meio de telescópios relativamente pequenos, após as 21h na zona do Atlântico leste e oeste africano. Mas não será nada fácil observa-lo, pois estará se movendo em alta velocidade.
Segundo os últimos cálculos publicados pelo laboratório de Dinâmica do Sistema Solar da Nasa, SSD, 2005 YU55 deverá atingir o ponto de maior aproximação da Terra a 325 mil km de distância no dia 8 de novembro de 2011 às 23h28 UTC (20h28 pelo Horário Oficial de Brasília e 21h28 pelo Horário de Verão), cruzando o espaço a 13 km/s. No dia seguinte a rocha se aproxima da Lua e às 07h14 UTC atinge apenas 238 mil km de distância do nosso satélite.
Bom, por enquanto, o maior perigo disso tudo, é aparecer alguma “Seita apocalíptica” profanando o fim do mundo! Cuidado hen!

4 de maio de 2011

Chuva de meteoros invadem o céu




Dessa vez, quem estiver no Brasil, se a meteorologia ajudar, poderá assistir de camarote, pois as melhores condições de visibilidade estarão no hemisfério Sul.
De acordo com a Nasa, o melhor período para observá-la a olho nú, é entre a noite de quinta-feira (5) e a manhã de sexta (6).
Em condições ideais, segundo a agência espacial americana, devem ser vistos entre 40 e 60 meteoritos por hora.
Eu já tive a oportunidade de ver uma chuva de meteoros, e posso dizer que é um espetáculo a parte.
Para quem quiser ver, o ideal é procurar um lugar com pouca luz, pois as luzes da cidade dificultam a visibilidade da chuva de meteoros.
Esses meteoros que aparecerão durante esses dias, são pedaços deixados pelo Cometa Halley, que passou aqui pela última vez em 1986 e só voltará novamente em 2061.
Muita gente nunca viu uma chuva de meteoros, mesmo sendo um evento que acontece varias vezes no ano. Algumas pessoas já viram um risco no céu, e disseram ser uma estrela cadente, mas na verdade, são meteoritos que entram em contato com a atmosfera Terrestre e produzem esse risco no céu.
Na Serra da Cantareira em São Paulo, é o lugar que eu costumo observar chuva de meteoros, lá, as luzes de São Paulo influenciam menos.

Boa sorte, e que o céu esteja aberto.
 

2 de maio de 2011

Viagem "Expresso da Gravidade"

O que aconteceria se uma pessoa tentasse atravessar um túnel de um lado ao outro do planeta, usando apenas a gravidade para Impulsionar o viajante?

Veja no vídeo abaixo:


Estrelas de nêutron e Joy Division

Em 1979 a banda inglesa de pós-punk, Joy Division, lança seu álbum de estreia, o Unknown Pleasures. O álbum foi gravado em abril de 1...